sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

“Debate-se
e arrebenta, arranha
dói e não cala.
Os olhos
para fora
fecham-se
teimam
e nada os consola.

Estou só
a sensação imensa do só
e nesta terra vasta
os campos são pálidos.

Estar só
é não ter raízes.
Como pode um rizoma ser feliz
se é impossível ser feliz sozinho?
Como pode um rizoma viver feliz sozinho,
Se só a dois é que se morre... ?

2 comentários:

Raquel Campos disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Raquel Campos disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.