segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Quando dói
é que acorda o poeta.

Um comentário:

Mikael Araújo disse...

Peço licença para entrar
e para improvisar...

Quando dói é que acorda o poeta
O prego martela
ao esforço de seu algoz
Exalaria deste furo
a alma do poeta?

Ótimo blog Léo. Gostei de sua foto e da madeira ao fundo. Lembra o trabalho de um marceneiro que modela traços rústicos num pedaço de madeira.